sexta-feira, 26 de setembro de 2014

VIVER

VIVER

Oh morte, não venhas ter comigo.
Nunca ninguém me falou de ti
Nunca ninguém me disse quem tu eras
Nunca ninguém me falou de que virias.
Se virias no outono...no inverno...
Na primavera...ou talvez no verão
Por isso, oh morte, não passes ao meu lado
Que eu ainda tenho muito, muito para viver.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca